Liber OHT*

Capa
A magia do caos é sem dúvida cheia de incógnitas mal resolvidas por parte daqueles que não sabem o que Magia do Caos realmente é.
Uns podem achar as práticas caoistas absurdas, sem sentido e totalmente fora do escopo mágicko. É pela ignorância dos que não sabem o que Magia do Caos é, que se tem um pré-conceito equivocado com esse meta sistema.
Magia do Caos é a linguagem básica da formação de sistemas mágickos. Assim como um sistema computacional usa uma linguagem de programação para construir os blocos que constituirá o sistema final, os sistemas mágickos também as possuem. Magia do Caos descriptografou e fez da magia um sistema Open Source, da qual o praticante conhecedor da linguagem programática constrói seu próprio sistema.
Estou realizando uma pesquisa minuciosa do sistema Elder Scroll e certamente não fui e nem sou o único que já pensou/usou os Aedra ou/e Daedra para seus fins mágickos. Porem não se tem um tratado completo sobre o tema e decidi tomar as dores. Essas entidades representam arquétipos e alegorias que começaram a ter “vida” em alguma dimensão. Acessar essa dimensão e quais os riscos que envolvem essa empreitada é  que consiste o trabalho.
Tenho uma intuição de que é possível usar aedra e daedra sem a necessidade de evocá-los, apenas atraindo a energia forma-pensamento deles para perto do praticante, ou simplesmente com um ritual pessoal de invocação.
Portanto após de ler muitas lores, livros, blogs (e jogar haha) buscando informações a respeito das características das entidades de Oblivion e de Aetherius. Embora algumas tentativas de convidar outros “magos pesquisadores” para fazer esse estudo e documentar resultou em alertas evasivas e sem conhecimento adequado da  proposta e também pelo sangramento estranho no nariz quando estava fazendo a capa do Liber, continuei na busca de informações para saber quais os riscos de usar essa egrégora.
Estou disponibilizando duas partes da pesquisa onde introduz à este Universo. A primeira parte revela a origem do Universo e os planos onde residem os Aedra e os Daedra. Na parte dois  se restringe á origem dos Aedra, Daedra e de Mundus, assim como também as principais características das entidades.

Parte I – Gênese e cosmologia

Parte II – Aedra e Daedra


*Oht é um caractere do alfabeto daédrico que possui uma forte relação ao plano de Oblivion. Mais adiante postarei a respeito do uso dessa letra como chave de acesso ao plano. Oht é equivalente à letra O (O de Oblivion).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s